07/05/2017

RESENHA: Gregor e a Segunda Profecia - Suzanne Collins


 A resenha de hoje é sobre Gregor e a Segunda Profecia, segundo volume de As Crônicas do Subterrâneo, saga escrita pela Suzanne Collins. Como é sequência, a resenha vai ter spoilers sobre o primeiro volume, Guerreiro da Superficie. Então, para não pegar spoilers, vá direto ao resumo no fim do post e veja minha opinião resumida :) 

* Leia a resenha de Gregor, O Guerreiro da Superficie clicando aqui. 





Nome: Gregor e a Segunda Profecia
Saga: As Crônicas do Subterrâneo #2
Autor: Suzanne Collins
Editora: Galera Record
Páginas: 288
Ano: 2012
ISBN: 978-85-01-08187-2
Classificação★★★★ (5,0 Estrelas) 
Sinopse: Nos meses que se seguiram desde que Gregor encontrou o estranho Subterrâneo debaixo de Nova York, ele jurou jamais voltar. Mas quando outra profecia, desta vez sobre um misterioso rato branco chamado Bane, declara ser necessária a ajuda de Gregor, os Subterrâneos sabem que a única maneira de fazê-lo participar da aventura é raptando sua irmã menor, Boots.


   No primeiro volume de "Crônicas do Subterrâneo", acompanhamos a aventura de Gregor para cumprir a profecia cinzenta e resgatar seu pai, que havia sido preso pelos malignos ratos gigantes dois anos antes. No final da aventura, quando ele, Boots e Gregor retornam para casa, Vikus deixa escapar algo sobre uma segunda profecia. O garoto, curioso, pede detalhes, já que planeja nunca mais voltar para o subterrâneo. Mas o velho desconversa e logo Gregor esquece o assunto.

   Isso até que, em uma tarde de neve no central park, Boots é sequestrada e levada de volta ao subterrâneo pelos próprios habitantes de Regália. É então apresentada ao menino a Profecia da Perdição, segunda missão prevista por Sandwich décadas antes que pode impedir o fim do subterrâneo e de todos os que vivem lá. O garoto prontamente recusa, mas muda de idéia quando vê que a profecia cita um "bebê", e descobre que os ratos estão atrás de sua irmã para impedir o garoto de cumprir a missão. Temendo pela segurança de Boots, Gregor decide arriscar e embarca nessa nova aventura.

  

   Uma coisa que me agradou no primeiro volume foi a construção e o desenvolvimento dos personagens. Gregor, o garoto deslumbrado, receoso e animado do primeiro volume dá lugar á um Gregor de 12 anos que é corajoso, porém relutante, mas que retira do âmago coragem suficiente para embarcar em uma aventura perigosa para salvar a vida da irmã. Acredito que Suzanne tenha tido como inspiração um relacionamento real de irmãos, já que ela não poderia ter descrito melhor tais sentimentos. 

   Mas essa exploração emocional não se limita apenas aos irmãos. Lexa e Ares, por exemplo, ganham novas camadas de desenvolvimento como fruto da morte de Henry, o guerreiro traidor. O morcego, que era diretamente ligado ao traidor, ficará com uma má imagem dentro do próprio circulo de amizades, mesmo depois de ser inocentado e ter criado laço com Gregor. Já Lexa, a futura rainha, não é condenada, mas se auto-pune por não ter descoberto os planos malignos do primo á tempo de impedi-lo de cometer tais infrações. 

   O nível que o livro atingiu emocionalmente falando foi incrível, criando - e desfazendo - laços tão reais que você sente na pele tudo com força total. 


   O principal assunto desse volume, a profecia, também foi bem pensada. Uma coisa que gostei até agora foi o fato de as profecias estarem no formato de poesia. O jogo de palavras ficou bem encaixado, te fazendo tentar desvendar seu sentido até não conseguir mais.

   Alguns personagens foram acrescentados á obra, todos com suas funções e nenhum ficou de lado quanto a sua participação no geral. Os maiores acréscimos da obra foram, sem dúvidas, Twitchtip e Howard. Twitchtip é uma rata trazida por Ripred (rato que ajudou-os na Profecia Cinzenta) para ajuda-los na missão; seu ofato é tão poderoso, que ela consegue distinguir a roupa de boots mesmo do outro lado da cidade. Já Howard é primo de Lexa, habitante das fontes. O garoto também ganha um importante papel na trama, acompanhando o grupo a todo instante. 

   Ao contrário do volume anterior, aqui Suzanne não solta nenhuma informação importante antes de ser realmente necessário - isso ajudou o enredo a se tornar totalmente imprevisível. Cliffhangers são o que mais encontrei nesse livro, mas num nível crível e necessário. 


   O final do livro foi ótimo; a autora encerrou esse ciclo deixando importantes pontas para serem desvendadas nos próximos volumes. Quanto mais você lê, mais compreende as coisas, mas fica ainda mais difícil imaginar um final para a obra. Collins não se prende a exatamente nada do enredo, se criou armadilhas para si mesma, conseguiu escapar sem deixar quaisquer sinais. 

   A mudança dos personagens também é evidente; eles começam o livro de um jeito, e terminam de outro. Seu desenvolvimento é visível, mas em um ritmo ideal para intensificar a realidade deles. 


   Infelizmente, a edição não me agradou muito. Tenho a 2ª lançada pelo selo Galera Record, e ela vem com esse "adesivo" horroroso falando que a Suzanne quem escreveu Jogos Vorazes. Além disso, encontrei vários erros de digitação e gramatica. Várias vezes nomes foram escritos de forma errada, além de trocarem "ele" por "ela" quase sempre. Um cuidado maior seria bem vindo, né? Mas, apesar de tudo, o tamanho da fonte ficou ótimo para uma leitura confortável e rápida. 


RESUMINDO (SEM SPOILERS): O livro superou minhas expectativas como sequência. Temos tudo que uma boa fantasia Infanto-Juvenil precisa: ação, explicações, bons personagens... A autora provou, mais uma vez, que merece o sucesso que tem. Recomendado para todos! 


 E ai, o que acharam? A resenha já tem alguns meses de idade, então perdoem meus erros gramaticais e de construção. Espero ter despertado o interesse de vocês quanto a Saga, pois vale a pena :) Comentem! 


9 comentários:

  1. Olá! Sou obrigada a confessar que não li sua resenha inteira, principalmente por ter avisado que continha spoiler do primeiro livro que para minha vergonha eterna, eu nem sabia que era da Suzanne! Chocada!!! Mas vou corrigir minha falta e ir em busca dessa nova saga o quanto antes. Bjoooo

    www.blogpapelpapel.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Sou totalmente louca para ler esse livro, principalmente porq Suzanne <3 Porém ainda não tive oportunidade,mas ta aqui na minha listinha, sim com toda certeza. Sua resenha ficou incrível.

    ResponderExcluir
  3. Excelente resenha! Fiquei super curioso, cara! Gostei mesmo!

    Um grande abraço!

    O.C.
    www.oscarcalixto.com/blog

    ResponderExcluir
  4. Já tido lido no blog sobre As Crônicas do Subterrâneo, cada vez que leio a resenha fico curiosa para ler e saber de cada detalhe... Enquanto não consigo, vou acompanhando aqui no blog mais sobre elas! Parabéns pela resenha! Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Para ser sincera nunca ouvi falar de As Crônicas do Subterrâneo, mas sou apaixonada por fantasia, e achei sua resenha muito bem escrita, o que fez levantar uma curiosidade imensa em mim e uma vontade enorme de ler esse livro.

    ResponderExcluir
  6. Nossa, que resenha! Fantasia - para mim - é o melhor gênero... amo! Fiquei curioso para ler esse livro...

    ResponderExcluir
  7. Faz algum tempo que essa saga está na minha lista de desejados e não vejo a hora de ler. Parece ser incrível.

    ResponderExcluir
  8. Ainda não conhecia essa saga. Parece interessante.
    Ainda não consegui gostar muito do gênero fantasia, mas tenho dado uma chance.

    Parabéns pelo blog.
    www.sobrecadamomento.com.br

    ResponderExcluir
  9. Essaé a mesma autora de Jogos vorazes?

    E não li com medo de pegar spoiler, vi só sua opinião. Gosto de fantasia, então acho que eu leria.

    Beijos

    ResponderExcluir