Olá, Wolfpack! A resenha de hoje é de um livro que me surpreendeu em vários sentidos. Gregor, o Guerreiro da Superfície é o primeiro dos cinco volumes da saga As Crônicas do Subterrâneo, escrito por ninguém menos que Suzanne Collins, a rainha de Jogos Vorazes. Curiosos? confiram meus comentários abaixo ;) 





Nome: O Guerreiro da Superfície
Saga: As Crônicas do Subterrâneo #1
Autor: Suzanne Collins
Editora: Galera Record
Páginas: 306
Ano: 2008
ISBN: 978-85-01-08186-5
Classificação★★★★ (4,8 Estrelas)
Sinopse: O pai de Gregor, de 11 anos, desapareceu há mais de dois anos, o que tornou a vida do menino muito difícil. Mas tudo se complica ainda mais quando ele cai através de um duto de ventilação na lavanderia do prédio onde mora, e encontra um incrível universo desconhecido sob a cidade de Nova York. Agora, apesar de seus protestos, o menino precisa liderar um estranho grupo de humanos e animais gigantes numa missão que pode salvar o Subterrâneo além de ser a única saída para encontrar seu pai.


  Gregor tem apenas 11 anos, mas já carrega obrigações de um adulto. Após o sumiço misterioso de seu pai, o menino precisa abrir mão de basicamente toda a sua infância para cuidar de Boots, sua irmã mais nova, e sua avó que está doente. Sua mãe trabalha em tempo integral para sustentar a casa, e Lizzie, sua irmã do meio, viajou para um acampamento de férias deixando apenas o garoto como responsável pela casa. E é durante uma das várias tarefas domésticas do dia-a-dia que ele e Boots caem (literalmente) de cabeça em um mundo totalmente novo. 


  No século 17, Bartholomew Sandwich, um pedreiro que tinha "visões do futuro", reuniu um grupo de milhares de pessoas e partiu para Nova York em busca do lugar com que sonhara incessantes vezes: o Subterrâneo. Depois de 80 anos de testes e aprendizados, 800 deles se mudam para debaixo da terra; o motivo, de acordo com o vidente, é que em alguns anos a terra estaria inabitável, e apenas aqueles que estivessem no subterrâneo viveriam. 

  A partir de então, as profundezas da terra se tornam uma versão "cavernosa" da terra, com direito á guerras e armas antiquadas. Com exceção de alguns aliados, os humanos subterrâneos precisam defender Regalia, sua terra, de todos aqueles seres que não os querem ali - incluindo ratos gigantes, aranhas perigosas e outras espécies que escolheram não se aliar a ninguém, mas que ainda representam perigo. E é no meio de tudo isso que uma profecia aguarda para ser cumprida: dois guerreiros, vindos da superfície, irão salvar Regalia das garras dos ratos, impedindo todos os habitantes de sofrerem um fim trágico. Logo, Gregor e Boots são tidos como tais guerreiros - ideia instantaneamente abominada pelo garoto. Afinal, como um menino de 11 anos e uma bebê de apenas 2 poderiam salvar uma nação que vem se defendendo há gerações contra perigos que o menino poderia nem saber existirem? Mas, tão logo o garoto se faz essa pergunta, acaba descobrindo uma coragem á muito enterrada dentro de si mesmo.


  Como seria o conto Alice no País das Maravilhas situado no século 21? Foi com essa pergunta que Suzanne Collins começou a construir o universo de Gregor. Apesar da inspiração, as semelhanças se restringe á superficialidade; uma criança que cai em um mundo totalmente desconhecido e precisa cumprir uma profecia. O enredo tinha tudo para ficar clichê, né? Mas, como a Suzanne é a Suzanne, ela conseguiu construir algo grandioso em cima disso. 

  E quando eu falo grandioso, não é em relação ás cenas de ação ou complexidade do enredo (estes que ela também construiu maravilhosamente bem): seu ponto forte foi, com toda a certeza do mundo, a construção e evolução dos personagens. Quando li a sinopse do livro, esperei uma fantasia infanto-juvenil como qualquer outra, mas o que recebi foi um livro que explora bastante os laços familiares - sejam eles formados por sangue ou por sentimentos. 


  O desenvolvimento do enredo também fora miraculosamente planejado: por ser um livro infanto juvenil, não espere algo complexo e detalhado, mas não se surpreenda se encontrar assuntos importantes nas entrelinhas - acredito que cada leitor absorverá o livro de um jeito diferente. Eu, por exemplo, me identifiquei pelo sentimento fraterno dos personagens, principalmente o de Gregor com Boots, já que tenho uma irmã poucos anos mais velha que a garotinha. Mas temos vários outros assuntos abordados sutilmente, como o luto, preconceito e auto-cobrança


  RESUMINDO: Comecei o livro com certo receio, já que não é do meu gênero favorito, mas me surpreendi positivamente. Suzanne Collins reproduz sua narrativa perfeitamente adequada aqui, infiltrando sutilmente assuntos de extrema importância na criação das crianças. Além, é claro, de criticas sociais explicitas. Afinal, se formos analisar as atitudes dos habitantes do subterrâneo, descobriríamos que na verdade nós é que somos os ratos. Recomendado para todos!

5,0



18 Comentários

  1. A história parece ser bem interessante, se for tão boa quanto Jogos Vorazes vou adorar! Vou colocar na wish list, adorei a resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha aposto que não irá se decepcionar!

      Excluir
  2. Não é o tipo de história que eu curto, mas até que gostei da sua resenha.
    Vou pesquisar mais sobre...rs
    Bjs ♥

    ResponderExcluir
  3. Li a trilogia de "Jogos Vorazes", mas não sabia de outras obras da Suzanne Collins, achei muito interessante! Com certeza procurarei saber mais sobre esse livro, obrigada pela dica! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que goste tanto quanto estou gostando! :)

      Excluir
  4. Suzanne é maravilhosa. Eu sabia que ela escrevia infanto-juvenil, mas nunca tinha lido nenhuma resenha.
    Gosto bastante de livros de aventura e esse parece muito bom.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Se você gosta de resenha, o livro é altamente recomendado rs

      Excluir
  5. Preciso deste livro para ontem! Essa autora é top, sou apaixonada por Jogos Vorazes, já está anotado para ler futuramente.
    Resenha maravilhosa, bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, Suzanne é vida né? <3
      Obrigado!

      Excluir
  6. Oi Fábio! Eu não conhecia o livro, mas parece realmente que a autora construiu um universo incrível, mais uma vez, com um bom enredo e construção de personagens. E gostei bastante da capa também. Adorei a resenha!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Mi!
      Realmente, ela conseguiu construir algo complexo sem bombardear o leitor com informações.

      Excluir
  7. Oi amore mio!
    Você acredita que não conhecia esse livro? Não tinha ideia que existia mais obras da autora publicadas aqui.
    Adorei a premissa, parece ser um enredo muito bem construído. Vai para a lista de desejos.
    Beijos
    http://lua-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oiee, quando eu descobri que a autora tinha esses livros fiquei bem curiosa, mas mesmo assim ainda não li, talvez pelo genero ser um pouco diferente do que costumo ler, mas mesmo assim dica anotada!

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale a tentativa, viu? no começo achei a sinopse super chata, mas imagina minha surpresa quando constatei que era bom! huahua

      Excluir
  9. Adorei a premissa e sua resenha. Não é um gênero que eu me identifico, mas com certeza se eu me deparar com essa obra irei dar uma chance!

    Beijos*
    https://umminutoumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que bom que despertei seu interesse, bruna! Com certeza você ficará tão ligada quanto eu huahua

      Excluir