Ficções científicas ainda são minoria na minha estante, mas esse ano resolvi dar mais espaço para obras do gênero - principalmente as nacionais. E a resenha de hoje é da primeira tentativa! Weiss, do Vinícius Louzada, mistura poderes psíquicos com intrigas entre clãs e contêm cenas de lutas empolgantes e memoráveis. Quer saber o que achei da obra em geral? É só continuar lendo :D

 Quem acompanha o blog, provavelmente já notou que um de meus gêneros favoritos é a fantasia infanto-juvenil. Além de serem leituras relativamente fáceis, é interessante analisar como alguns autores inserem assuntos de extrema importância em uma linguagem voltada para crianças e pré-adolescentes. Se engana quem acha que dentro das páginas de Percy Jackson, ou Harry Potter, encontraremos apenas aventuras e ação; são esses títulos que, cada vez mais, impulsionam o gosto pela leitura desde cedo.
 E, mesmo não tendo a mesma fama dos outros citados, hoje irei falar o porque de Kate Somente, da americana Erin Bow, ser tão importante quanto. Bora?