Olá, leitores! A resenha de hoje é de Pequena Ajuda, romance escrito pelo autor Guinho Monteiro e lançado pela editora Sinna! Se você gosta de personagens simpatizantes em um enredo delicado, corre pra ler meus comentários abaixo :D



Nome: Pequena Ajuda
Autor: Guinho Monteiro
Ano: 2018 (Janeiro)
Páginas: 272
Editora: Sinna
Gênero: Romance, Drama
Onde EncontrarSkoob
Isbn9788593077104 / 8593077102
Classificação★★★  (3,6/5,0)
Sinopse: Uma tragédia afasta Sebastian da sua famosa carreira como roteirista, levando-o a se entregar à depressão e à ansiedade. Por causa disso, ele começa a cuidar de roteiros para comerciais televisivos, recluso em seu apartamento. Sofia, uma criança esperta e curiosa que mora no mesmo prédio que Sebastian, é abandonada pela mãe. Sem saber o que fazer, a menina de oito anos decide bater à porta do vizinho. Seria essa pequena ajuda a salvação de Sebastian?

Sebastian, o protagonista do livro, é um homem angustiado. Após perder as coisas mais importantes de sua vida, o roteirista (que já fora famoso) acaba se trancando dentro de si mesmo, afastando tudo aquilo que possa aliviar sua dor emocional. 

Ele vive seus dias torcendo para que os demônios que atormentam sua mente não voltem, preferindo esquecer do melhor período de sua vida para escapar da dor de lembrar todas as coisas que perdeu. E sua vida segue assim, cinza, até que em uma tática desconhecida e inesperada, o destino coloca Sofia, garota de 8 anos abandonada pela própria mãe, no meio de seu caminho. Seria esse o empurrão que o homem precisa para voltar a viver?


Confesso que comecei a leitura cauteloso. Não costumo ler livros do gênero, pois, na maioria das vezes, me decepciono com alguma coisa. Os personagens, o enredo, o desfecho... algo sempre  acaba quebrando o clima que a leitura possa me proporcionar.

E, infelizmente, Pequena Ajuda não foge totalmente á regra. Por mais que em algum momento eu tenha pego o ritmo, no começo não simpatizei com nada na estória, achando-a previsível e superficial. A falta de empolgação me fez demorar 5 dias para chegar aos 60%, esperando que algo diferente acontecesse.


Mas meu maior problema, talvez, tenha sido com os personagens. De ações do Sebastian á falas de Sofia, algumas situações simplesmente não conseguiram entrar na minha mente a ponto de me fazer acreditar no que estava lendo. As frases bem elaboradas da criança por vezes superaram o vocabulário do renomado ex-roteirista, com explicações complexas mas pouco argumentadas. E, quando ela retomava com um ar mais infantil, aquilo me soava falso e forçado. Acabei demorando para entender Sofia, e essas variações de personalidade dificultaram ainda mais essa tarefa.


Porém, diferente da maioria dos casos, o livro começou a me convencer nos últimos 40%. Os personagens, que até então estavam tão superficiais que pareciam maus autores atuando em uma novela, começaram a demonstrar uma profundidade surpreendente e inédita. A conduta de Sofia se estabilizou no proposto inicialmente, o que deixou um espaço maior para o autor explorar outras coisas.

E, sim, isso aconteceu. Os personagens que me soaram tão falsos começaram a se mostrar verídicos, agindo do modo esperado diante dos acontecimentos que se seguiam. Quando as coisas pararam de focar totalmente nos superficiais sentimentos dos dois em relação á seus problemas do passado, ambos começaram a viver e pensar no agora, levando consequentemente a trama e o leitor junto.


Ah, e o salto que o enredo deu nos dois últimos capítulos foi gigantesco. Além de fechar a obra com chave de ouro, o autor soube utilizar bem aquilo que construiu até ali para valorizar toda a obra. Se durante a leitura fiquei impaciente para terminar, quando finalizei me vi pensando no enredo com carinho. A pontual escrita do Guinho Monteiro me fez apreciar algo que raramente me agrada em obras literárias: finais felizes e/ou utópicos. Foi só no final que comecei a dar valor á todos os bons e doces momentos do enredo, entendendo finalmente a atmosfera que o autor quis passar.


Comentário Geral: Mesmo não apresentando algo novo, ou que chame a minha atenção, Pequena Ajuda me proporcionou uma boa leitura. Gostei bastante da escrita do autor, que conseguiu ser objetivo no que queria passar ao leitor. A edição da Sinna, novamente, ficou ótima. Talvez, por não gostar tanto do estilo de estória, eu não tenha aproveitado tudo o que a obra tem a oferecer. Mas é um livro que Recomendo, principalmente pra quem quer um livro que aqueça o coração! Nota 3.6/5


11 Comentários

  1. Oi, Fábio!
    Saudades de vir aqui te visitar. Esse livro é um daqueles que eu compraria pela capa (rsrsrsrs).. Sou dessas. Claro, que muitos dos que eu compro eu olho antes a sinopse, mas costumo comprar um ou outro pela capa bonita, ou sugestiva, até mesmo pelo título do livro e depois colho felicidade pela boa litura, ou temporal pelo enredo péssimo, se for o caso!
    Ótima resenha!
    Grande abraço, meu amigo!
    Drica.

    ResponderExcluir
  2. Teria sido intencional esse clímax não anunciado ter início apenas nos 40% finais? Ainda, conhece esse filme? https://www.imdb.com/title/tt0110413/

    ResponderExcluir
  3. Através da sua resenha percebi que o livro não foi lá aquelas coisas, mas te proporcionou uma boa leitura!
    Confesso que a história não me interessou; rs

    ResponderExcluir
  4. Amei o livro, além da capa ser muito bonita. Amo linda livro deste gênero, estou ansiosa já para ler e ver o desenrolar do livro. Adorei

    ResponderExcluir
  5. Amo dramas, e ainda mais romances, adorei sua resenha.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Olá!
    Gostei da premissa do livro e adoro livros que traz personagens infantis. E me parece que a doçura de uma criança seria a parte heroica da história, né? Mesmo diante de seus pontos negativos me senti atraído pela história, não nego a ideia de ler esse livro algum dia.

    - Abraço,
    Diego || Blog Vida & Letras ♥
    www.vidaeletras.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oie,Assim como você já passei por essa mesma experiência de passar a gostar da leitura já final do enredo, lembro muito bem que os personagens eram bastante vagos a sensação era de está lendo um rascunho.



    ResponderExcluir
  8. Adorei a resenha, confesso que também não costumo ler este gênero pois assim como você algo sempre acaba me decepcionando. Mas a premissa deste livro é interessante e quem sabe um dia eu de uma chance também
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi Fabio, tudo bem?

    Estou começando a ler mais do gênero e tenho gostado do que tenho lido. Uma pena que o livro tenha sido mais do mesmo e não tenha trago nenhuma novidade, essa demora para entrar no enredo talvez me fizesse desistir da obra. Adorei sua resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Olá Fábio.
    Entendi suas observações para os pontos negativos.
    Mesmo assim, gostei da resenha. Foi sincera e fiquei feliz que o final tenha lhe proporcionado alegria!
    Abraços

    ResponderExcluir
  11. Nice entry, I'm here for the first time and maybe I will stay longer!

    https://clicknorder.pk online shopping in pakistan

    ResponderExcluir